"Os Sofrimentos do Jovem Werther" de J.W. Goethe

domingo, março 05, 2017

tirei esta foto mês passado; agora ele tem 17 marcações

Terminei, neste instante, Os Sofrimentos do Jovem Werther. Eu comecei a ler este livro há dois meses e não nego que pensei em desistir. O livro é difícil em suas primeiras páginas, especialmente quando se está acostumado com romances bobos de hoje. Entretanto, consegue com todo charme, demonstrar como Werther sofreu e morreu por uma mulher.

Consegue, nesta obra, expressar o amor que sentiu, mesmo sabendo que Charlotte era de outro. Eu não sou fã de livros velhos; atribuo isso ao meu professor de literatura e os clássicos chatos que ele nos obrigava a ler – a literatura brasileira é riquíssima, mas pouco me interessa coisas como Vidas Secas e Os Sertões, o que eu posso fazer? Sem falar que obrigar o aluno a ler estes livros não é melhor que incentivar, qualquer dia falo sobre isso - então tive aversão ao notar que o livro se passava em mil setecentos e bolinha.

No entanto, até conseguir se acostumar com a leitura, é possível tirar coisas muito boas, lições religiosas e conservadoras do livro. O amor que Werther sente por Charlotte é justificado: uma moça de boa alma, que cuida de seus irmãos com todo o carinho possível, uma moça culta e inteligente. Werther também é passível de compaixão: ele é inteligente, culto, quase sem preconceitos e disposto a ajudar.

Eu gostei muito do que Goethe fez: aos poucos mostra o jovem Werther se afundando na depressão, mostra toda a sua infelicidade e suplicas a Deus para que o matasse. O Mal do Século, como foi chamado aqui no Brasil o movimento literário que mostrava todo o sofrer de jovens de uma geração, especialmente pelo amor não correspondido, é muito bem expresso neste livro.

A minha edição, a qual não devo ter pago mais de dez reais mas não nego que comprei pela capa, é de 2010 e fala mais sobre o livro nas notas finais. Aliás, adorei as páginas: tenho o mau costume de usar marca textos para destacar algo que gostei e ele não manchou. As páginas são mais grossas e dão a impressão de que o livro possui mais de 174 páginas. A letra não é miúdinha e é confortável para ler. Que bom que dedicaram o tempo para isto.


E pensar que, antes de me aprofundar na leitura – eu estava bem infeliz, não que esteja feliz agora mas quando comecei parecia que os dias levavam anos para passar entre outras lamentações – eu odiava este livro. Mas enfim, esse negócio de mal do século vai ficar para depois, quero voltar para o meu mundo não tão encantado de Hogwarts.

N.A.: algo que me esqueci de acrescentar: é possível notar que Werther se afasta de Deus e o questiona. Ao meu ver é comum, em casos de depressão, que ou a pessoa de afaste ou se junte a Deus - este segundo caso seria para tentar melhorar. Mas é só a minha opinião.

You Might Also Like

0 comentários